A obesidade é um dos principais problemas de saúde da modernidade. Ela já atinge mais de 30% da população brasileira.E tende a piorar: segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), até 2025, mais de 50% da população mundial será obesa.

Mais que a preocupação estética, o excesso de peso pode acarretar uma série de distúrbios como a pressão alta, diabetes, colesterol alto, problemas circulatórios, cardíacos e articulares. Por isso, evitar ou tratar a obesidade é um excelente investimento em saúde e qualidade de vida. Nos hábitos alimentares funcionam como fatores protetores se forem adotados ao longo da vida, especialmente, quando aliados à prática de atividades físicas.

O primeiro passo para uma vida saudável é esquecer dietas mirabolantes ou fórmulas milagrosas. É importante evitar esse processo de “efeito sanfona”, no me popular dado àquele engorda­ emagrece, que além das alterações estéticas – como as estrias – pode contribuir para alterações circulatórias e cardíacas.
Na maioria das vezes, os transtornos alimentares estão agregados a outras doenças emocionais, como depressão e ansiedade. Assim, contar com a ajuda de profissionais toma esse processo menos complexo.

Por isso, a abordagem multidisciplinar, como emprego de diferentes recursos simultaneamente, propicia os melhores resultados. Essa é proposta de abordagem da obesidade, que oferece um plano de reeducação alimentar aliada à atividade física, suporte psicológico e acompanhamento médico a pacientes com sobrepeso, obesidade e obesidade mórbida.

A eficácia dos tratamentos depende de cada paciente, mas um fator é certo ao assumir esse desafio: pensar na possibilidade real de ser saudável é um grande passo para essa conquista! E acredite, manter-se magro após o sucesso do tratamento, será bem mais fácil!

Algumas medidas simples trazem excelentes resultados:

-Uma dieta saudável contendo alimentos de variados grupos;
-Fazer um prato bem colorido;
-Fazer o maior número de refeições de pequena quantidade, não pulando horários pré-estipulados pelo profissional da área;
-Beber bastante água ao longo do dia melhora a produção de urina e facilita outros aspectos da fisiologia e metabolismo;
-Atividade física rotineiramente (após uma correta avaliação profissional).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *